*
*
*
*
Efeito de flutuação de texto ...:::JOÃO VITHOR E NICOLE:::...
Fórmulas especiais gratuíta é um direito da criança.
-->

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Última postagem-Fim do blog

Pensei muito antes de vir escrever, mas acho que é sim necessário deixar essa última postagem aqui no blog,depois dessa provavelmente não escreverei e quem sabe depois de um tempo até exclua o blog.
Sempre lutei muito pelos meus filhos, abri mão de viver, de cursar uma faculdade e acho que tinha sim potencial para ser uma excelente profissional na área que sonhei. Deixei de trabalhar e minha vida ficou resumida a ser mãe. Ser mãe foi sim uma escolha minha, eu escolhi cuidar e deixar nascer meus filhos, muitas mulheres abortam ou abandonam seus filhos, no mato, com avós ou entregam para adoção. Então eu escolhi meus filhos ao invés de uma profissão, Precisei escolher pois não tinha como pagar uma faculdade e bancar um bebê; estudar com uma criança chorando igual era João ou dentro de hospital igual era sempre. Impossível sair para trabalhar e deixar meus filhos aos cuidados de terceiros e pegar o salário e passar para alguém. Não havia ânimo para nada pois os 2 primeiros anos do João nós não dormíamos e quem foi meu vizinho sabe disso, minha mãe as vezes revezava as noites comigo e o Roger sabe o que é chegar atrasado no trabalho por não dormir a noite.
Enfim! Lutamos até aqui e nunca foi fácil e nunca desisti ou deixei de fazer algo por eles. Como ser humano e como mãe cometi erros, como todos cometem. Erros ao buscar ajuda, erros ao cobrar os direitos, erros ao ser filha, mãe e esposa, erros banais como até hoje cometo. 
Nessa caminhada de quase 11 anos já fui muito julgada, humilhada, ajudada, desafiada , ridicularizada e desacreditada, mas até aqui cheguei. Já rodei tanto pelos meus filhos, fiz amizades e também inimizades... Já sorri muito com eles e também chorei horrores por eles. 
Hoje só queria deixar um recado, não percam tempo tentando me sacanear, a vida já fez isso. Não preciso que ninguém queira fazer da minha vida mais difícil do que já é, já cansei. Sim cansei dessa vida. Escolhi ser mãe e não me arrependo da escolha, é uma experiência única que nem toda mulher pode desfrutar, é um privilégio. 
Cansei de lutar e ver gente puxando meu tapete quando minha luta é e sempre foi por um propósito justo e único. Cansei da podridão do ser humano que adora ver o outro na lama. Cansei de lutar pelo que é direito, cansei de tudo. Hoje vivo porque a Nicole precisa que eu cuide dela, ela é criança e precisa de ser orientada, cuidada e protegida. Vivo porque não é opcional, enquanto muitos oram por uma cura , por vida eu só quero que Deus me leve pra longe daqui. Não estou errada em querer descansar desse inferno que é viver ultimamente, onde se você faz, está errado e se não faz também está errado. Onde todos tem uma opinião mas poucos estendem a mão. É tanta cobrança, tudo que faço parece que fiz errado, onde tem gente duvidando de coisas simples como se mentir fosse meu hobby, pessoas que não fazem ideia do que suportamos e superamos para fazer o que é certo e necessário. Pessoas que não sabe que é necessário muita coragem pra sair da cama e começar o dia. Pessoas que me viam sorrindo e achavam estranho, pessoas que me viam brigando achavam absurdo. Sabe, ainda não sei como devo me apresentar diante dessa vida. Achava que sorrir e brincar ajudasse a suavizar o sofrimento, assim como pensava que brigar e cobrar ajudasse a garantir o necessário. Pessoas que me viam esquecendo e perdendo coisas e suspeitavam logo de malandragem quando na verdade era cansaço. Pessoas que não permitiam sorrir pela alegria de ter meus filhos, ou chorar por eles, não era permitido querer algo melhor ou ter dúvidas e cautela diante do novo. Pessoas que não que acham que a vida tem que ser muito técnica e protocolada, pessoas que esqueceram que somos feito de carne e osso e sentimentos.
Só quero poder dormir e acordar em outro lugar, um lugar melhor, um local onde encontre meu filho , onde possa dar um abraço nele e assim como ele ser livre. 
Tenho minha crença, sei bem que o que desejo não é pecado pois somos livres para orar e pedir a Deus o que queremos. Embora com vontade de ir jamais farei algo contra minha vida, pois somente Deus tem esse direito, só ele pode me levar daqui. 
Então é isso, Nicole está bem, graças a Deus, quem quiser noticias dela, quem quiser saber dela, estaremos no mesmo local, no mesmo telefone, mas as noticias serão dadas para pessoas reais, sem anonimatos. 
Se antes era difícil , agora está insuportável pois perdi a vontade de ir contra o mundo, é essa sensação, de que ando na contra mão de tudo. Não deixarei de cuidar da minha filha pois tenho essa obrigação. Cuidarei da minha preciosa com um sorriso no rosto, pois ela merece isso.
Até aqui sei que fiz bem o meu papel. Meus filhos são crianças únicas, João era um menino inteligente tanto emocional como  mentalmente assim também é Nicole, uma criança alegre, agradecida e que sabe amar o próximo, até aqui estou orgulhosa deles, sei que ela será um adulto de bem. Só por isso sinto que cumpri o meu dever e quem sabe já possa ir, esperando pela hora de Deus.

sábado, 19 de março de 2016

ABUSOS

Reclamação feita a Unimed Goiânia


Quero saber se a operadora de saúde Unimed Goiânia contrata profissionais sem registros nos devidos conselhos, tipo médico e enfermagem? Imagino que a resposta seja óbvia e um seguro NÃO. Diante dessa possível negativa pergunto a operadora o motivo e já imagino, o que seria o óbvio também, que a empresa zela pela segurança de seus clientes e por isso só profissionais qualificados. Então agora questiono, porque a UNIMED GOIÂNIA acha que quando o paciente está em casa no serviço Domiciliar
 " Os Serviços de Atenção Domiciliar, também denominados “Home Care” #trecho retirado da página da ANS, ele pode contar com atenção apenas da família ela tendo ou não habilidade e capacidade para executar os serviços de enfermagem e ainda sem um registro no conselho específico??? Por qual motivo o paciente que está sob o serviço domiciliar tem que ser negligenciado?? Nem um pai ou mãe tem que ser obrigado a manusear um cateter central sem o devido preparo, nem um paciente merece correr esse risco. Todo paciente e principalmente uma criança merece o devido respeito de receber atendimento por pessoas qualificadas e aqui em casa eu e minha esposa não temos capacitação para executar tais procedimentos, como troca de soro, preparo de soro, retirada de soro, lavagem e manuseio de cateter central ( portocath). Segundo o site www.institutoendovascular.com.br/doencas-vasculares/cateter-port-a-cath/  ''O portocath é um cateter de longa permanência – pode ficar por até cinco anos se adequadamente manipulado'' E outro texto explicativo diz: Regra n°1: o cateter só pode ser manuseado por equipe qualificada. Após a retirada dos pontos não é necessário cuidados especiais com a área
sobre o cateter. Na hora do banho,apessoa pode se lavar normalmente, inclusive lavando a área do cateter. A punção do cateter é procedimento
exclusivo de enfermeiros e será feita com técnica específica e agulha especial. (http://www.clinionco.com.br/assets/img/content/manuais/CATETER_TOTALMENTE_IMPLANTADO.pdf) Então Unimed Goiânia, essa função não deve ser dada aos pais, principalmente quando eles não tem qualificação para isso.
No Art. 3º do ECA Diz: A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade_ A minha filha tem o direito de oportunidade de um tratamento digno e sem riscos, com profissionais qualificados.
 O Art. 4º diz : É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária._ Então já que nós familia estamos fazendo a nossa parte, agora o plano de saúde que pago também deve fazer a sua, com ABSOLUTA PRIORIDADE.

Parágrafo único. A garantia de prioridade compreende:

a) primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias;

Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de "negligência", discriminação, exploração, "violência", crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por "ação" ou "omissão", aos seus direitos fundamentais. _ Nós enquanto pais não podemos fazer os procedimentos sem termos capacidade e sentirmos segurança, seria uma ação de risco, uma violência (a violência física, entendida como qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal; (http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/lei-maria-da-penha/formas-de-violencia)), e quando a UNIMED nos faz responsáveis por esses serviços sem capacidade ela também está negligenciando a vida da nossa filha uma criança de 8 anos.
Art. 6º Na interpretação desta Lei levar-se-ão em conta os fins sociais a que ela se dirige, as exigências do bem comum,'' os direitos e deveres individuais e coletivos'', e a ''condição peculiar da criança'' e do adolescente como pessoas em desenvolvimento._ Nisso fica claro que diante da situação de saúde dela, avaliando os seu bem estar e segurança e também sabendo que os deveres não apenas individuais mas também coletivo , creio que o resultado deve proporcionar um desenvolvimento com SEGURANÇA e DIGNIDADE.
No Art. 18 diz '' É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor'' _ É dever de TODOS e isso não exclui ninguém.

Lembro que em reunião com a ouvidoria o próprio médico José Garcia disse que ela não deveria ficar apenas sob o cuidado de uma única profissional, caso ela faltasse, então seria hora do serviço que  deveria acompanha-la em casa se inteirar mais do caso.

EIM _ Erros Inatos do Metabolismo (EIM) são distúrbios de natureza hereditária, causados pela falta de atividade de uma ou mais enzimas específicas ou por defeitos no transporte de proteínas. Esses erros - transmitidos, em sua maioria, de forma autossômica recessiva - são considerados a causa das Doenças Metabólicas Hereditárias.
Tais erros podem levar ao acúmulo de substratos (substâncias não metabolizadas) que podem se tornarem tóxicos para o organismo e/ou falta de alguma substância que não será produzida, o que pode levar ao comprometimento dos processos celulares.
As doenças metabólicas podem se manifestar em qualquer idade, entretanto, na maioria dos casos os sintomas ocorrem na infância e adolescência. Nem todos os portadores apresentam o mesmo quadro clínico, mas alguns sintomas podem ser mais comuns como a dificuldade de crescimento e desenvolvimento e também a perda de algumas funções.
No começo, os sinais e os sintomas são sutis e dependendo do grau de deficiência metabólica vão se tornando cada vez mais aparentes e difíceis de tratar

O diagnóstico precoce e o início rápido do tratamento são fundamentais para que o paciente apresente melhor evolução e qualidade de vida. Além disso, pode evitar graves consequências como deficiência mental, convulsão, paralisias e até mesmo óbitos. ( Informação retirada do Instituto Canguru)

A minha filha apresenta hipoglicemia, hiperamonemia, vômitos, letargia, ataxia entre outros e esses sintomas podem ocorrer por motivos banais desde uma virose, um estresse, como também por uma infecção, uma saturação do organismo ou erro na dieta. Por esse motivo alguns hospitais e profissionais não aceitam internar e cuidar da minha filha, por não sentirem capacitados e nesse meio , caso a médica atual esteja fora da cidade, minha filha fica sem socorro, o que poderia ser evitado com uma equipe que interaja , com um sistema de repasse de informação e uma atenção mais de perto o que ela não está tendo até hoje e vale lembrar que nosso filho João também estava no serviço sem nenhuma assistência e veio a óbito aos 8 anos.
Pergunto a UNIMED DOMICILIAR como uma mãe, só uma mãe, pode ir para uma consulta, exame, com a criança com 2 bombas de infusão e a criança? A criança que por ter uma anemia crônica, difícil de tratar já que possui um estoque de ferro elevado e mesmo assim persiste com hemoglobina baixa, não tem energia para andar, cansa facilmente e já pede para ser colocada no colo, perai! A criança tem direito a socorro? Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais._ Ela não tem de onde tirar energia e por isso precisa ser constantemente carregada, ela adormece rapidamente quando cansa, quando sua glicose cai pra menos de 50 e nisso há um risco de uma mãe estar sozinha sem  um socorro em tempo hábil.
Nossos esforços além de serem para mante-la viva, é para manter seu cérebro ,  que fica vulnerável pela doença, sem lesões. Porém como o metabolismo é comprometido, não podemos programar um horário para ela estar descompensada como pediu duas enfermeiras do serviço domiciliar, aliás, quem programa passar mal???
O serviço, conforme uma negativa dada, informava que tem uma equipe multidisciplinar, mas quem sai do conforto do lar para consultas é a criança, nutricionista em Brasilia, Geneticista em Brasilia, Psicologa bem cedinho mas não em casa, se passa mal tenho que ir para o PS, onde logo de cara me falam que não podem fazer nada.

Outra dúvida, todos os enfermeiros, técnicos de enfermagem e profissionais, trabalham em uma escala de serviço, pois a sobrecarga pode levar ao erro e quando  lidando com vidas, todo cuidado é necessário a fim de evitar erros por estresse, então digo a UNIMED GOIÂNIA que minha esposa , sem capacitação, sem registro no COREN e sem pausa não pode assumir o serviço da enfermagem.
De acordo com a constituição dos direitos humanos:'' Artigo 7.º Todos são iguais perante a lei e, sem qualquer discriminação, 'têm direito a igual proteção da lei'. ''_ Ela também tem direito a descanso já que está efetuando a função da enfermagem.

Artigo 23.º Quem trabalha tem direito a uma remuneração equitativa e satisfatória, que lhe permita e à sua família uma existência conforme com a dignidade humana, e completada, se possível, por todos os outros meios de proteção social._ Minha esposa desempenha uma função, constantemente a enfermagem do domiciliar solicitam que façamos o serviço.

Artigo 24.º
Toda a pessoa tem direito ao repouso e aos lazeres e, especialmente, a uma limitação razoável da duração do trabalho e a férias periódicas pagas._ O serviço feito em casa por minha esposa é continuo, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias no ano.

É fato que o serviço prestado é para nossa filha porém por zelo a vida dela é que minha esposa e eu não podemos ficar com a responsabilidade de executar uma função sem sentirmos preparados para tal. E pelo zelo com a nossa filha que reconhecemos, devido ao nível de estresse não termos mais condições psicológicas e também de  conhecimento do serviço de assumir a função da enfermagem, ainda mais quando a empresa tem profissionais capacitados para o serviço.

http://www.reclameaqui.com.br/17636184/unimed-goiania-go/negligencia-com-paciente-crianca/


Enquanto mãe, mulher e esposa, sinto que estou no meu limite, cansada fisicamente, mentalmente e emocionalmente. Nicole acorda cedinho antes das 6h e já tenho que estar atenta a ela. Tenho que fazer tudo correndo ( arrumar casa,comer, tomar banho e etc) pois ela sempre está precisando de um cuidado. O barulho da bomba é perturbador quando você precisa ouvir constantemente e Nicole tem se negado por vezes a tomar toda dieta precisando ficar vigiando ela, e a desculpa pra ela desligar antes de acabar é o alarme constante da bomba. Ela também se nega a desliga la, e o pipipi fica soando até que eu pare o que estou fazendo e vou  arrumar.
Nicole é muito pequena, já passou por tanta coisa e é privada de muitas e acho crueldade jogar pra ela a responsabilidade de ficar ajustando a bomba. Ela é criança e merece  sossego pra estudar, brincar e descansar.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Xixi na cama

  Xixi na cama! Toda mãe sabe como é difícil ensinar os pequenos a usarem o vaso e sofrem com as escapadas durante a noite. Aqui não foi diferente, Nicole usou fraldas bastante tempo durante o dia e mais tempo ainda durante a noite, por volta de 5 a 6 anos ela deixou de usa-las para dormir. Mesmo havendo deixado de usar durante o dia ela diante de uma bronca, medo ou algo que deixasse ela nervosa , acabava urinando na roupa e isso até então considerava normal.
  Durante as internações sempre coloco fraldas para dormir, por estar em um hospital , excesso de líquidos, duas bombas buzinando  por qualquer mexida, etc... Enfim, ela sempre usava esporadicamente, também quando vamos em algum lugar com dificuldades de banheiro. Até ai, pra mim também parece normal.
   Porém já tem um tempo que ela vem tendo as escapadas durante a noite, todas as noites e algumas vezes escapou durante o sono da tarde e o fato de ter que acordar por volta das 2h ou 3h da madrugada e trocar de roupa, forrar cama é complicado. Diante disso optamos pela volta das fraldas a noite. Não sei se fiz o certo mas é difícil pra mim  a rotina dela, então tento ''facilitar'' algumas coisas. Sei que ela já caminha aos 9 anos, imagino que a puberdade está logo ali e fico pensando, será que apesar da grande demonstração de maturidade que ela tem, será que ela não está também imatura? É confuso...
Não quero pressiona-la mas também não quero ser negligente nem omissa quanto a esse processo. Lembrando que ela toma dieta durante toda a noite(11h até 6h), 200 ml,cerca de 28 ml por hora. E durante o dia ela ingere cerca de 800 ml de fórmula, água a ingesta é mínima e não acho que ela tenha uma grande quantidade de líquidos durante o dia e noite. Vamos observando....

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Coisas que não pensamos


Pérolas da Nicole

👩_ Mamãe , vou ficar com essa sonda pra sempre?

👪_ Depende  de você, quando você aceitar tomar a fórmula por boca aí pode tirar.

👩_ Mas mamãe!  E quando eu ficar grávida???? A sonda vai ficar estufada querendo sair _ Diz toda assustada.

👪_ É só você tomar por boca então...

👩_ Eca! Esse leite tem gosto de barro.

😨😨😨😨😨😨😨

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Iniciando 2016

    Primeira postagem de 2016, iniciando o ano com novidades, umas boas e outras nem tanto mas o alvo fica sempre  à frente por isso só podemos seguir e nunca retornar, a vida não permite voltar e consertar os erros lá de trás por isso procuro fazer o melhor agora para ter um futuro mais seguro ; principalmente tudo que é relacionado a minha preciosa. Quando ela crescer quero que ela perceba todo cuidado e esforço em prol de sua saúde, que ela sinta que as dificuldades não foram empecilhos para seguirmos e que também não seja , no futuro, uma desculpa para ela parar.
   Em determinadas situações fico pensando nas minhas atitudes diante das pessoas com a qual lido frequentemente, geralmente o plano de saúde e seus colaboradores. Todos estamos sujeitos a erros , fato, mas o que algumas pessoas talvez não entenda é que, o laboratório erra uma vez, o enfermeiro outra, a recepcionista outra e com isso, setores diferentes, pessoas diferentes erram com a mesma situação e pra mim acaba chegando como "mais um" erro e junto vem o desgaste e por isso fica difícil pra mim, lidar com os erros.

    Terça-feira Nicole foi tomar novamente a imunoglobulina, na vez anterior teve o incidente com o enfermeiro que delegou a função dele a um técnico de enfermagem, sendo que a mesma só pode ser feito pelo médico ou enfermeiro, além de quererem fazer usando um luva de procedimento quando o certo é usar luvas estéril. Chegando á clínica eis que só tinha o enfermeiro em questão para puncionar o cateter e lá veio encrenca. Solicitei á clinica outra pessoa e as caras não foram as melhores mas resumindo, a médica responsável pela clínica fez a punção e problema solucionado. Sim, ficou tudo ok, mas lá no fundo não gosto de fazer isso, expor de forma negativa outra pessoa, apontando o seu erro para os colegas, não gosto mas também não gosto de saber, da boca da médica, que o enfermeiro é capacitado para o procedimento e competente mas , talvez preguiça(?), passou sua obrigação a um terceiro não capacitado e sem respaldo legal para fazer. Essas questões me intrigam.

Voltando a Nicole, teve uma melhora da diarreia, e descobrimos que o causador era nada mais que o SORBITOL, presente em todas as medicações manipuladas(dela). A descoberta ocorreu de forma irônica, ela após receber alta iniciou vômitos e seguia com diarreia, então a gastro pediu para parar todos os remédios, quase infartei mas obedeci e logo ela melhorou. Melhorou e deixou a pulga atrás da orelha, por que os remédios faziam mal?? Então, estou no sofá vendo Dr. House e no episódio um homem queixava de diarreia após parar de fumar e o cinismo de House ao declarar o real problema, o chiclete que o rapaz mascava para controlar a vontade de fumar, cheio de sorbitol, eis que foi uma resposta ao enigma. Falei com a médica que também concordou, inclusive a geneticista e nutricionista que anteriormente ficaram horrorizada ao ouvir que as medicações a deixavam mal.            

   Depois passamos a manipular os remédios em outra farmácia, sem o sorbitol e outros proibidos e ela tem estado bem, sem diarreia, evacua umas 4 a 5 vezes mas não tem trazido prejuízos. 
Sem a diarreia e os vômitos a amônia controlou, tem mantido um valor que também não traz danos a ela, com isso evoluímos a dieta o que foi uma grande conquista. Teve ganho de peso porém sem ganho estatural.Tivemos uma melhora relativa do quadro e embora tenha ganhado peso ainda está abaixo do peso para idade , ainda desnutrida.

   Apesar da conquista ainda tem coisas nos preocupando quanto a saúde dela. Nicole está há quase 2 anos sem crescer e, na tentativa de saber o motivo das hipoglicemias acabamos descobrindo que ela possui uma deficiência do hormônio do crescimento e vai precisar usa-lo e eis outro problema, o hormônio é de preço elevado mas é doado pelo Estado MAS...para isso  preciso de apresentar 2 exames, feito com estimulo de insulina ou outra medicação e esse exame descompensou totalmente a Nicole, sendo inseguro repetir o mesmo. A médica endocrino só irá fazer a solicitação ao Estado com os 2 exames, mesmo explicando os riscos para ela, nem quis ouvir, dentro da sua razão ela já me negou o direito de tentar ganhar a medicação , respeitando os limites do organismo da minha filha. Ela chegou a realizar um exame e após este primeiro apresentou novamente os espasmos já estavam controlados.

   Além da estatura Nic está perdendo os cabelos e isso nos preocupada, era tão cabeluda e agora o cabelo já ralinho com umas falhas já perceptíveis. Levei a dermatologista e ela colheu uns fios para exame, na próxima consulta vai dizer o resultado do exame (tricograma) e passou um remédio para passar na cabeça até a próxima consulta. Hoje a sugestão foi para cortar bem curtinho o cabelo dela e dá uma dor no coração, embora saiba que cabelo cresce novamente, sinto a dor de ver minha filha refém de uma situação.


domingo, 20 de dezembro de 2015

Unimed e o erros

Já falei sobre o erro do exame da Nicole, ocorrido na sexta dia 11 de dezembro, pois mais erros ocorreram e o pior é a postura da Unimed diante dos fatos. Fizemos uma reclamação sobre o exame CREATININA no site do reclameaqui e a resposta foi a mais descabida possível.


Réplica da Empresa

Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2015 - 17:42
Boa tarde Roger, 

A unidade em questão prestou os seguintes esclarecimentos à Sra. Poliana: "Informamos que após análise dos resultados realizados dia 11/12, afirmamos que os exames de hemograma realizados não há resultados incompatível com os parâmetros de variação clinica. Em relação a creatinina, após confirmação, estão compatíveis com o quadro relatado pela mãe. Informamos ainda que os exames foram repetidos com as mesmas amostras biológicas em aparelhos diferentes apresentado resultados semelhantes".

No mais, estamos a disposição,
Unimed Goiânia

Fiquei tão desgostosa e desacreditada com essa resposta, por isso vou postar as fotos dos dois exames.


primeiro resultado
segundo resultado



Basta saber ler e comparar para ver o erro. E o pior que depois desse erro houve mais erro de laboratório e também de enfermagem, que irei detalhar a seguir. 
Na sexta saiu um outro exame, o mesmo seria para comparar e ver a resposta vacinal só que , quando mandei o exame para a médica ela logo avisou que o exame havia sido feito de ''forma  errada.'' Foi o que pensei ao ver o resultado, antes era descrito sorotipo por sorotipo e seus valores e dessa vez veio um valor total. Liguei no laboratório e atendente disse que a biomédica mandou dizer que, caso a médica não soubesse ler o exame, que ligasse lá pois estava correto e ainda disse que não falaria comigo pois não havia erros. Fiquei furiosa e disse que eles precisavam era ser processados e desliguei. Logo ligou a tal biomédica e disse que não havia enviado tal recado e que o exame estava correto. Correto igual ao exame de creatinina, acredito eu. Sábado fui pessoalmente ao laboratório para levar um exame cujo as referências estão esteticamente bagunçada não permitindo uma leitura das referências. Erro que já havia dito e eles negavam. Falei sobre o exame de sexta e eles dessa vez enxergaram o erro das referências e prometeram arrumar. Pedi para imprimirem alguns exames e como ficamo de repetir o cortisol pedi o frasco que não tinha na unidade e me mandaram pegar na outra (av. Rio Verde) , que também não tinha. Sai do laboratório e olhei o resultado do cortisol e percebi que havia um erro, outro né?? Trocaram os valores, total de urina com resultado, e isso porque antes de liberar os exames, que são feitos no Lab. Álvaro, o biomédico olha o exame, assina e depois liberam. O biomédico viu o resultado trocado??? Parece que não. Faltou atenção, assim como houve atenção em calibrar o aparelho de creatinina.

Agora deixemos o laboratório e vamos falar de outros erros.... Enviei o relatório médico e guia solicitando liberação de imunoglobulina no Cebrom , foi liberado o medicamento e o local negado. Fazia apenas na clínica própria da unimed. Até então tudo bem, fomos para o local indicado e antes enviei uma mensagem pra médica perguntando se podia ser feito pelo cateter que Nicole possui, a resposta foi que sim mas que teria quer ter cuidado pra não ter infecções, afinal o cateter vai direto no coração. Quando foram puncionar o cateter foram uma graça, luva estéril, máscara, campo cirúrgico e tudo mais e usaram o esparadrapo que levei. Quando o remédio acabou, a enfermeira que colocou já havia ido embora e havia novo enfermeiro. Chamei e disse que havia terminado e ele olhou e ainda comentou em vó alta que era um cateter e chamou a técnica de enfermagem para lavar, heparinizar e retirar o mesmo. A única pessoa que pode fazer isso no cateter é o enfermeiro, jamais o técnico. A técnica veio com luva de procedimento e já barrei logo. Descontente ela saiu e foi chamar o enfermeiro que já veio dizendo que lá sempre usam luvas de procedimentos e que a técnica era apta pra fazer o procedimento. Fiquei perplexa na hora pois era visível no rosto deles o descontentamento com a minha imposição e de forma brusca ele tirou o esparadrapo do peito da Nicole, injetou rapidamente a heparina e de forma rápida retirou a agulha e logo colocou um algodão e o esparadrapo de uso da clínica. Não deu nem tempo de falar nada. Ela ficou com o esparadrapo errado do momento em que saímos até chegarmos em casa e ela tirar pra tomar banho e já tinha feito um estrago. A questão do esparadrapo é pequena mas reforça que a mãe sabe o que está falando, parece exagero, frescura mas não é.


Fico estarrecida com tais acontecimentos dentro de um laboratório e clínica e mais ainda quando faço a reclamação para o plano de saúde e ele retorna dizendo que não houve erro. Se isso não é erro  o que será erro então??? Esses são o que a mãe chata expôs e os outros que ninguém fala? Ou nem nota....


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Erro no exame

Sexta-feira levei a Nicole Lourenço Rios ao SAU para realização de exames de urgência, dado que no mesmo dia, pela manhã ela passou por um procedimento no centro cirúrgico necessitando de anestesia e logo após apresentou edema de pálpebras e apresentou-se mais pálida no final da tarde. Diante disso a médica pediu pra fazer os exames para uma possível transfusão sanguínea. Os hemogramas anteriores apresentavam hemoglobina 8 (8,3,8,7). 
Quando saiu os resultados fiquei intrigada com hemograma que apresentava uma melhora mesmo sem ter feito um tratamento no período entre um e outro exame. Liguei no laboratório,  área técnica,  falei com Luciano que disse que era variação normal de aparelho, ficando de mandar o sangue para unidade da Mutirão para confirmação.  Porém ao sair o resultado da creatinina, veio um susto,  o exame alterado sugeria insuficiência renal e diante do edema de pálpebras  a médica sugeriu internação e avaliação urgente de nefrologista.  Lembrando que Nicole faz hiperamonemia e uma possível insuficiência renal,  poderia agravar a situação. Ainda assim liguei novamente no laboratório mas a ligação foi atendida e desligada de imediato não conseguindo mais contato. Desde o início conseguir ser atendida no telefone pelo laboratório foi difícil.  Passamos uma sexta angustiante diante da possibilidade do problema renal. Já havia um cansaço do procedimento anterior e ainda o medo de uma complicação. 
Penso que o laboratório tem que ter  mais responsabilidade ao executar e emitir resultados de exames. Penso na quantidade de crianças e adultos que passaram pelo SAU e tiveram seus exames errados e diante de tais resultados foram submetidos a tratamentos ou tiveram tratamentos negligenciados. Desde de sexta já era pra Nicole ter recebido uma transfusão de sangue pois ao repetir os exames foi constatado hemoglobina 7,4 e hematócrito de 23. Mas de acordo com o técnico do laboratório era uma variação de aparelho, variação que pode até matar.  
O erro foi grande e poderia ter resultado em consequências como aplicação de um tratamento desnecessário ou a falta e atraso do tratamento quando era primordial para restabelecimento da saúde da Nicole.  
Por sorte no nosso caso, somos atentos e temos um exames anteriores para acompanhar já que Nicole é uma paciente crônica,  agora imaginem um paciente agudo,  que foi , dentro de anos,  ao PS por uma queixa aguda??? 
Fora isso ficamos com o susto, o cansaço e desgaste físico,  emocional e financeiro,  além de aumentar o número de agulhadas na criança  para contestar os exames.  Nicole ficou extremamente estressada com  toda situação.
Ocorreu um erro neste gadget